FESTA DA PASSAGEM DE ANO


A Fundação João XXIII – Casa do Oeste deseja a todos os Fundadores e Amigos umas Festas Felizes e convida a todos para a Festa da Passagem de Ano Solidária, dia 31 de Dezembro a partir das 20 horas.                

Contamos com a vossa presença e pedimos que tragam convosco outros amigos.
 
É necessário confirmar a presença para a Passagem de Ano até ao dia 15 de Dezembro, para o Secretariado. 
tel: 261 422 790 ou 915779037 


JANTAR DE NATAL

A Fundação João XXIII deseja a todos os Fundadores e Amigos um Santo e Feliz Natal e convida a todos para o Jantar de Natal que se realiza no próximo dia 17 de Dezembro às 20 horas.

Contamos com a vossa presença e pedimos que tragam convosco outros amigos.
 
É necessário confirmar a presença para o jantar de Natal até ao dia 15 de Dezembro, para o Secretariado.
tel: 261 422 790 ou 915779037
e-mail: casadooeste@sapo.pt

A “Festa” (reunião, convívio, celebração) é uma dimensão  fundamental da pessoa e do cristão que reconhece a beleza da vida  e acredita em melhores dias  e que tudo isto  tem de estar acima das contingências dos tempos e das “armadilhas” dos mal intencionados e oportunistas.




























BOAS  FESTAS
“Alegrai-vos e exultai
Eis que vem o Salvador !

É tempo de Paz!
É tempo de ver os outrosÉ tempo de Fraternidade
como irmãos
E com eles repartir o nosso
Pão.
É tempo de gritar
a Esperança
Porque o futuro é possível.
É tempo de acreditar que é
possível com discórdias
acabar.
Natal só pode existir
Quando aos sem tecto uma
casa se garantir e roupa
para se cobrir.

Paz e Bem, Amizade também

Pela Fundação João XXIII
P. Batalha
“Abra-se a Terra e germine o Salvador !”

INAUGURAÇÃO DA CASA DO OESTE

Decorreu, no passado domingo, dia 23, com grande animação a tradicional Festa das Colheitas na Casa do Oeste. Mais de 400 pessoas terão participado, ao longo do dia, nas diversas actividades oferecidas pelo programa: celebração da Eucaristia, cerimónia da bênção e inauguração das novas instalações, almoço, arraial animado pela Bandinha da Amizade da Atouguia da Baleia, quermesse, roleta, mercado de produtos agrícolas, comes e bebes (água-pé e castanhas, tremoços, filhoses, pão com chouriço, bolos diversos), etc.

Esta festa foi precedida por uma preparação especial, tendo em conta a característica da Fundação João XXIII/Casa do Oeste, assente basicamente nos movimentos rurais da Acção Católica: ACR (adultos), JARC (jovens) e ACN (mais novos) e também na Solidariedade com a Guiné/Bissau.

O Assistente Diocesano fez uma Visita Pastoral aos Grupos de base da ACR proclamando o lema do seu Programa de actividades: “É preciso gritar a Esperança”, em tempo de crise, orientando em cada grupo uma reflexão sobre “A crise como oportunidade”, “porque nenhum cristão pode ficar alheio ao projecto de Jesus: ‘Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei’ que tem em mira uma sociedade pacífica, justa e fraterna e mais participativa.

Os Grupos elaboraram os seus Programas de actividade com os quais se comprometeram e entregaram-nos no altar da Eucaristia na Festa das Colheitas, levando também, oferendas diversas para a sustentabilidade desta Casa.

O Grupo Coordenador da Solidariedade com a Guiné também se reuniu para avaliar a Solidariedade deste ano, ressaltando a realização do “Projecto Visão Guiné” executado em Janeiro e Fevereiro, e a missão de Agosto que fez a formação de 19 professores e criou a Delegação oficial da Fundação João XXIII/Casa do Oeste, com sede em Ondame.  Nesta Festa pôde-se ver em projecção permanente todos os Projectos de desenvolvimento que a Fundação vai apoiando com os grupos missionários.

Os jovens da JARC, por sua vez realizaram neste fim-de-semana da Festa a sua Assembleia Diocesana em que definiram as linhas de acção e o lema a trabalhar durante dois anos “Sê rural, acredita nos jovens e cria a mudança” . Foi feita a eleição duma nova Equipa Diocesana que na Eucaristia desta Festa foi enviada em Missão.

Toda esta preparação previa culminar nesta Festa das Colheitas com a Eucaristia de Bênção e inauguração do novo edifício, presidida pelo Bispo D. António Marcelino que, por motivos de saúde imprevistos, comunicou a sua impossibilidade e nos enviou uma mensagem que foi lida no início da Celebração.

Assim inaugurámos o novo edifício da Casa do Oeste, que nos dá muito melhores condições de prestação de serviços, com um novo e amplo pátio, convidativo à alegre confraternização com grande abertura de horizontes para o mar. Quem simbolicamente abriu as portas foi o fundador da 1ª hora e presidente da instituição, P. Joaquim Batalha, içando uma corrente de elos que, como foi dito no momento, significa uma cadeia de elos que unidos fazem a força e a solidariedade, a união de todos promovendo o desenvolvimento e o bem comum em fraternidade.

Como não há festa sem refeição o almoço foi “Arroz à Valenciana” que estava muito gostoso, sendo partilhado por mais de 300 pessoas.

Entretanto também muitas foram as oferendas que foram trazidas para as vendas do “Mercado rural”, com muitos e variados doces caseiros e as famosas filhoses feitas pelas senhoras do Grupo de S. Mamede da Ventosa,...  A Bandinha da Amizade de Atouguia da Baleia veio graciosamente animar a Festa.

Fez parte do programa a assinatura de mais uma Parceria de Cooperação (além das seis parcerias já existentes) com a Associação “Barafunda” da Benedita, representada pela Dra Isabel Rufino.

Esta festa de inauguração foi um êxito, embora pudesse ter sido mais, se não fosse o mau tempo que se fez sentir da parte da tarde.

“Nós somos procuradores de Deus em favor uns dos outros e muito especialmente dos mais pobres. Neste sentido fazemos festa comunitária com o que Deus permitiu que fosse fruto do nosso trabalho. Mas toda a partilha é de todos os bens e há também aqueles bens que vamos colhendo com a coerência da nossa vida cristã e nos enriquecem espiritualmente também em ordem a partilhar. A partilha que estais a fazer com os maravilhosos projectos na Guiné/Bissau são também "festa das colheitas" pelo que envolvem de amor, de gratuidade, de serviço em favor de um país pobre, como o pude verificar em Fevereiro passado, onde só são abundantes as misérias e a humildade do povo verdadeiramente pobre.
Continuais assim na fidelidade ao projecto de João XXIII, um crente atento aos clamor dos pobres, orientando a Igreja para que fosse serva e pobre, porque só deste modo podia ser mãe e mestra. O Concilio não foi senão na sua intenção, a resposta necessária de amor de uma Igreja serva e atenta ao clamor dos pobres.
Desejo que este dia seja mais um dia de construção de uma Igreja verdadeiramente conciliar que estimule a nossa fé e a procura contínua de novos caminhos na missão”.

(da Mensagem de D. António Marcelino)

Joaquim Batalha











FESTA DAS COLHEITAS 2011

É já no próximo domingo a tradicional Festa das Colheitas na Casa do Oeste.
Esta é uma grande Festa de angariação de fundos para a sustentabilidade do projecto Casa do Oeste com a oferta e venda de produtos agrícolas da zona oeste (mercado rural) e também a data em que, oficialmente, se dá o inicio a um novo ano de actividade dos Movimentos da Acção Católica Rural do Patriarcado de Lisboa.

Este ano temos uma razão acrescida para a Festa pois acabamos de terminar uma fase importante da ampliação das instalações e iremos proceder á sua inauguração após a celebração da Missa presidida pelo bispo emérito de Aveiro, D. António Marcelino.
Contamos com a presença de todos os amigos.
Não faltes! Divulga este acontecimento!





MISSIONÁRIOS DA SOLIDARIEDADE COM O POVO DA GUINÉ

Regressou há dias, o grupo de voluntários, que esteve 2 semanas na Guiné, do qual fizeram parte:

P. Joaquim Batalha (Ribamar/Lourinhã), Jacinto Filipe e Cátia Zeferino (S. Isidoro/Mafra), Abílio Salvador (Obidos), José Miguel, Anabela Areias, e Patrícia Pereira(Lisboa), Ana Pereira (Gondomar/ Norte), Fernanda Gil (Mafra) e Mª do Rosário (S. João das Lampas/Sintra) - no grupo prevaleciam professoras/ assistente social.


















Esta Missão de Agosto foi aproveitada para: formação de 17 professores do ensino primário;  apoio social junto das famílias mais carenciadas com distribuição de arroz e roupas; apoio a alguns projectos com materiais e equipamentos que levámos num contentor: uma camioneta destinada ao Infantário de Bissá, um motor para um camião Volvo para a Cooperativa Escolar de S. José em Bissau; camas de hospital e equipamento médico que entregámos ao Hospital da Cumura, chefiado pelo médico Franciscano, frei Vítor, em Bissau; medicamentos e algum equipamento hospitalar para a Clínica Bom Samaritano, em Ondame; 150 sacos de cimento, 100 varas de ferro de 10 e mais 100 de 6 para diversas obras; livros e estantes para a Biblioteca de Ondame; colchões e muita roupa que entregámos à Comunidade das Irmãs de Ondame para distribuírem pelas famílias das Tabancas que elas visitam e  alimentos e muita água para a nossa casa para os grupos que forem a seguir a nós.

Em virtude desta nossa acção humanitária se ter enraizado e de uma forma crescente, fomos, desta vez, criar na Guiné, uma Delegação oficial da Fundação João XXIII/Casa do Oeste, com sede em Ondame, no Centro Social João XXIII. A assinatura da escritura no Notariado do Tribunal de Bissau foi notícia na Televisão Nacional e nas três Rádios mais ouvidas na Guiné: Rádio “Sol Mansi” (católica), Rádio “Bombolom” e a Rádio “Pinchiquite”. Esta oficialização da Fundação tem por objectivo agilizar as nossas parcerias e apoios; sendo reconhecidos talvez seja mais fácil desalfandegar os contentores que normalmente têm levado um mês, o que dificulta a nossa acção.

Sentimo-nos felizes por ver que os projectos que temos vindo a apoiar têm-se desenvolvido, alguns com grande repercussão nacional, nomeadamente, na área da saúde, gerindo a Clínica e Maternidade do Bom Samaritano que envolve uma população de mais de 15.000 habitantes. A Maternidade garante mais de 350 partos por ano em condições seguras e acompanhamento das mães e crianças da Região do Biombo. A Prevenção vertical de HIV é uma das valências da Clínica do Bom Samaritano contribuindo para a redução do índice desta epidemia na região e no país.


















Na área da educação que é essencial, a nossa FUNDAÇÃO apoia a Cooperativa Escolar de S.José, desde há 20 anos. Foi o primeiro projecto que começou com cerca de 40 crianças. Hoje destaca-se pela qualidade de ensino e por ter o maior número de alunos na capital, cerca de 3.800 alunos nos seus actuais 3 estabelecimentos de ensino. O projecto cresceu à medida das necessidades e a Escola Profissional é já este ano uma realidade.

No sector agrícola, o nosso apoio começou em 2001, a uma pequenina cooperativa de jovens técnicos agrícolas que se tinham acabado de formar em Cuba. Visitámos a sua iniciativa incipiente que iniciaram com 30 kg de arroz, 30 litros de feijão e com 8.000 CFA (= a 12,5 €) e num terreno emprestado pelo Estado. Ao longo de 10 anos temos dado algum apoio: mangueiras para rega, um tractor em 2ª mão para o cultivo do arroz, ferro e sacos de cimento, e diversos materiais. Agora vi que já adquiriram com o seu trabalho diversos outros meios, entre os quais destaco: tiveram de entregar o terreno emprestado e compraram 3 grandes terrenos, num dos quais têm uma boa sede social; criaram uma Rádio Comunitária para chegar a todas as Tabancas (aldeias) com a formação que eles têm promovido junto das mulheres, partilhando os seus conhecimentos com os outros; encontrámos lá um Grupo vindo de Bissau a fazer formação para iniciar uma experiência semelhante à deles; já iniciaram a transformação de produtos (sumos de caju, de cabaceira e vinagre de limão) que já começaram a comercializar. Esta experiência cooperativa já ganhou nome e credibilidade em todo o país.

A Cooperativa Escolar de S. José de Mindará, em Bissau; a Clínica e Maternidade Bom Samaritano, em Ondame (onde temos a nossa casa – a 70 kms a poente de Bissau) e a Cooperativa Agrícola de Jovens, em Canchungo, são os maiores projectos que a Fundação João XXIII/Casa do Oeste tem vindo a apoiar, mas há ainda outras iniciativas mais pequenas: o Infantário, em Bissá; a criação duma Rádio Local, junto da nossa casa “Rádio N´Djerapa Có–A Voz de Biombo” (iniciativa dos jovens). Esta é o primeiro órgão de comunicação social da região do Biombo que fala a mesma língua e o mesmo dialecto, mostrando o país e o mundo a um povo isolado e foi construída de raiz com material e formação fornecidos pela FUNDAÇÃO JOÃO XXIII em Novembro de 2009; Centro Cultural N’Delugan que é um espaço de lazer, cultura, informação; Biblioteca de Ondame: “Quem lê sabe mais”. Esta é a primeira biblioteca da região para professores, alunos ou simplesmente para quem quer saber mais. 
Um projecto ambicioso que pode marcar a diferença, mas só será possível  com o apoio de todos os que acreditam que:
•A Guiné/Bissau pode deixar de ser um dos 10 países mais pobres do mundo
•Que a educação e a saúde são os pilares base para o desenvolvimento de uma sociedade
•Que esse desenvolvimento é possível se todos olharmos para o nosso lado

Por isso o nosso lema é “Ajude-nos a ajudar”

Pe Batalha





ASSIM NASCE UMA BIBLIOTECA!

FÉRIAS SOLIDÁRIAS
“Quem lê sabe mais…”


“Em Janeiro de 2010 parti com mais um grupo de voluntários da Fundação João XXIII, para Ondame (situada na Região do Biombo, na costa Oeste da Guiné Bissau, a cerca de 60 km da capital). Nesta população, com cerca de 15000 habitantes, não há luz nem água, excepto nos locais apoiados pela Fundação João XXIII. O objectivo deste grupo era dar seguimento aos projectos existentes (Clínica e Maternidade Bom Samaritano, e Rádio Ndjerapaco) e o meu objectivo pessoal era criar um novo projecto: a Biblioteca Bom Samaritano, pois não existia nenhuma biblioteca na região e possuíamos imensos livros, fruto de variados donativos.

2010, o início da aventura…
Para este novo projecto foi disponibilizado um local, que depois de alguns anos a servir como armazém, renasceu com mais vida, mais luz e mais dinamismo.






















Para tal foi necessário reparar o telhado, rebocar e pintar as paredes, limpar e construir prateleiras, para finalmente se poderem  instalar os livros previamente catalogados, registados e etiquetados.






















De modo a organizar e estruturar da melhor forma a nova Biblioteca, estabeleci um contacto com a Biblioteca da Póvoa de Varzim, que contribuiu com informações e sugestões, um livro para registo dos livros existentes e alguns posters para decoração do local.

E assim, a 2 de Fevereiro de 2010, a Biblioteca Bom Samaritano abriu as portas à população de Ondame, pelas mãos do seu responsável – Lázaro Yé – um jovem guineense da etnia papel (a etnia predominante em Ondame). A Fundação João XXIII tinha assim dado vida a mais um projecto e criado um posto de trabalho.


2011, a Biblioteca Bom Samaritano, 1 ano depois
Em Janeiro de 2011 regressei a Ondame com um novo projecto para a Biblioteca – levar computadores (que foram obtidos através de vários donativos de empresas e particulares) e dar formação de informática, para dotar algumas pessoas de mais competências. Apesar de ter tido algum feedback positivo, ao longo de 2010, sobre a Biblioteca, eu estava ansiosa de a ver com os meus próprios olhos…“como irei encontrar a Biblioteca? E o trabalho do Lázaro, como estará a correr?”

Cheguei a Ondame no dia 20.01.2011 e no dia seguinte, às 9h00 da manhã estava à porta da Biblioteca, para a sua abertura! Foi uma emoção muito grande encontrá-la de novo, falar com o Lázaro e ver que o nosso empenho tinha criado frutos! A Biblioteca encontrava-se impecavelmente tratada e mantida e o Lázaro estava muito feliz e orgulhoso da sua Biblioteca. Tive a sensação que podia ter voltado nesse momento para Portugal, pois a Biblioteca está em muito boas mãos.

A Biblioteca acolheu mais livros, vindos de um liceu local e de donativos e muitas vezes a sua lotação de apenas 10 lugares é insuficiente.





























Por iniciativa própria, o Lázaro implementou algumas medidas importantes para o bom funcionamento e manutenção da Biblioteca:
- antes de entrar na biblioteca, cada pessoa deve lavar as mãos num balde colocado à entrada para esse efeito (de lembrar que não existe água canalizada…),
- antes de entrar na Biblioteca, cada pessoa deve descalçar-se,
- diariamente a Biblioteca é varrida e lavada e semanalmente é feita a desinfestação da formiga bagabaga (que ataca violentamente a madeira, adobe, etc.)

No dia 24.01 reunimo-nos com os directores das escolas, liceu e infantário, alguns professores e o Lázaro, para explicar o âmbito da formação, prepará-la e também para fazer um ponto da situação, relativamente à Biblioteca. Foi gratificante ver que a maior parte dos professores envia os seus alunos para fazerem pesquisas nos livros da Biblioteca e estão muito contentes com este espaço. Outros porém ainda não tinham ido visitar a biblioteca….e por isso no fim da reunião fomos todos “de forma voluntária” visitá-la!

No dia 25 iniciámos (eu e a Inês Santos) a formação em Informática, com 28 alunos divididos em 4 turmas. Os formandos foram, na maior parte, sugeridos pelos directores das escolas e eram quase todos professores, além do Lázaro.

Apenas 4 ou 5 formandos tinham tido algum contacto com computadores, o que nos deixava um universo de cerca de 20 pessoas que NUNCA tinham tocado sequer num computador! Foi uma aprendizagem, para eles e para nós também, pois o que muitas vezes é tomado como “garantido”, “óbvio”, “normal”, “básico”, ali, em Ondame, onde ninguém tem luz eléctrica nem água canalizada em casa, e as casas são feitas de terra, estes termos ganham uma dimensão completamente diferente… e uma Biblioteca, com luz eléctrica e computadores, assemelha-se um pouco a um extraterrestre…

Ao longo das duas semanas de formação fomos caminhando juntos, perdendo o medo aos computadores, ao desconhecido…fomos descobrindo capacidades e potenciais escondidos e em mim cresceu a certeza que o que cada Ser Humano precisa é de ter uma oportunidade para mostrar o seu valor, seja em que área for…Demos formação em WORD e EXCEL e deixámos a Biblioteca com 3 computadores prontos a serem utilizados pela população e por quem queira aprender um pouco mais. Deixámos também uma impressora multifunções, que neste momento funciona apenas como fotocopiadora, e que só por si já presta um serviço importantíssimo à população.

Há muito mais para fazer, e por isso para o ano voltaremos, com certeza!

Obrigada a todas as pessoas que ajudaram a tornar este sonho realidade!”
Depoimento de Claudia Martins




FÉRIAS SOLIDÁRIAS NA GUINÉ-BISSAU

A Fundação João XXIII enviou, mais um Grupo de voluntários em Missão à Guiné, no dia 17 de Agosto, constituído por 6 mulheres e 4 homens, onde permanecerão até 3 de Setembro. O mais velho tem 73 anos e 20 o mais novo.

Há vinte anos que nasceu a nossa Solidariedade com a Guiné/Bissau (um dos elementos deste grupo, o Jacinto Filipe, está a fazer a sua 20ª missão).
A solidariedade tem a ver com os direitos fundamentais de toda a pessoa humana, particularmente dos mais indefesos.
A nossa solidariedade passa pelas “Férias Solidárias”, envolvendo sempre a Solidariedade de muitos que, sem se deslocarem, vão lá, partilhando o seu coração, com a sua doação, com partilha de dinheiro e outros bens.

No passado dia 23 de Julho partiu um Contentor recheado com materiais de construção, materiais escolares diversos, roupas e calçado, muitos medicamentos e materiais de enfermagem, um motor, uma camioneta, etc...
Desta vez vamos criar a Delegação da Fundação João XXIII/Casa do Oeste, em Bissau/Ondame para agilizar os nossos apoios aos projectos de desenvolvimento.

“Temos como objectivo exclusivo oficializar, enquadrar, agiliza, a cooperação que cada vez mais vai ganhando forma ao serviço das populações mais carenciadas da Guiné/Bissau, apoiando iniciativas nas áreas do ensino/educação, da saúde, do apoio social, do desenvolvimento local e agrícola”.
Lembro os principais projectos que temos vindo a apoiar: Cooperativa Escolar de S. José, em Bissau, Clínica do Bom Samaritano, Biblioteca e  Rádio Regional , em Ondame, Centro Comunitário, em Bissá e Cooperativa de Jovens Quadros Agrícolas, em Cachung.

P. Joaquim Batalha (um dos elementos do Grupo em Missão)


CRISE É MOTIVO DE MUDANÇA

“Sê tu a mudança que queres ver no mundo” (Gandhi)

Decorreu de 1 a 5 de Agosto, com grande animação, mais uma Semana de Estudos na Casa do Oeste, com a participação de 35 pessoas, desta feita subordinada ao tema: O meu papel na mudança.
















Transcrevemos com adaptação o registo de Teresa Almeida no seu blog:  http://saberesdatiti.blogspot.com
 “Logo no primeiro dia foi fantástico tanto no que respeita ao reencontro com velhos amigos como no acolhimento aos que vinham de novo...
A CASA DO OESTE tem destas coisas faz-nos sentir em casa...As apresentações e o serão predispuseram-nos logo para a colaboração...boa disposição... e criatividade.
Nos 2 dias seguintes fomos convidados a olhar a nossa volta e pôr mãos á obra usando todas as nossas capacidades e os meios que a sociedade ou os apoios do governo põem à nossa disposição usando toda a criatividade para o serviço dos que mais precisam. Para isso tivemos a colaboração do José Manuel Paz e do Brandão Guedes.
A visita ao Centro Social e Comunitário do Landal deu-nos a oportunidades de vermos in loco o que se pode fazer para mudar o que nos rodeia e a pô-lo ao serviço dos outros,  para  bem dos que nos rodeiam.
As refeições foram muito gostosas... praia ali mesmo á espera... tudo para uns bons dias de reflexão e de férias...
As crianças foram animadas por jovens que tão bem os souberam cativar e entusiasmar e estiveram sempre participativas tanto nos serões como nos momentos de oração... A certeza de que o futuro está nas suas mãos.
O jornal do dia foi motivo de muito boa disposição e alegria... foi um reforçar do espírito critico e observador de antigamente e mote para umas boas gargalhadas.
Os momentos de oração... e a Celebração da Eucaristia do ultimo dia... ajudaram-nos a aprofundar os temas propostos... para que nos possamos decidir a pôr em pratica os desafios que nos esperam.

CRISE É MOTIVO DE MUDANÇA

A crise na sociedade
se queremos ver a verdade
é um sinal de mudança
Ao TRABALHO dar VALOR
Aos IRMÂOS dar mais AMOR
À VIDA dar mais ESPERANÇA

É SERVIR sem SERVIDÂO
É GANHAR sem AMBIÇÂO
É dar OPORTUNIDADES
É TRABALHO que produz
É CAMINHO que conduz
Á PAZ nas comunidades

Esta crise em que vivemos
fomos nós que a fizemos
pelo menos «consentimos»
embarcando em consumismos
e buscando comodismos
...foi abismo em que caímos..

Para arrepiar caminho
e mudar nosso destino
temos de nos convencer
gastar menos... criar mais ...
acertar os ideais
para a crise vencer …”





XXXVI SEMANA DE ESTUDOS

Na Casa do Oeste de 1 a 5 de Agosto de 2011

Tema: O MEU PAPEL NA MUDANÇA  
“Todo o mundo é composto de mudança tomando sempre novas qualidades”
Luís de Camões















“Crise” e “isto está cada vez pior” são das palavras que mais se têm ouvido nos últimos tempos no nosso país. “Isto tem que mudar” também se ouve muito, mas ouvir-se dizer “eu vou mudar” ou “vamos mudar” é mais raro. A mudança é quase sempre tarefa para os outros!

Nesta XXXVI Semana de Estudos vamos abordar o assunto de maneira diferente. As mudanças têm que partir de nós. Iremos reflectir sobre o papel de cada um de nós na criação de um mundo mais solidário, amigo da Natureza e com mais igualdade. Esta transformação só acontecerá se nos implicar.

Programa da Semana:

2ª-feira, 1 de Agosto
19:00h – Recepção aos participantes
20:00h – Jantar
21:30h – Serão: apresentação do programa

3ª-feira, 2 de Agosto
O CONTRIBUTO INDIVIDUAL NA CONSTRUÇÃO DO COLECTIVO, com o convidado José Manuel Paz
Praia

4ª-feira, 3 de Agosto
CONSTRUIR UMA SOCIEDADE MENOS DESIGUAL E MAIS SOLIDÁRIA com o convidado A. Brandão Guedes (a confirmar)
Passeio pedestre pela zona

5ª-feira, 4 de Agosto
Visita ao CDCL – Centro Desenvolvimento Comunitário do Landal (Caldas da Rainha)

6ª-feira, 5 de Agosto
Avaliação da semana
Eucaristia
Encerramento após o almoço

Inscrições e mais Informações deverão ser enviadas para:
• Luís Nunes: luisnunes16@gmail.com
telef. 262 834 433 / 919 965 036
• Natália Serrazina: natserrazina@gmail.com
telem.968 206 012

Inscrições até dia 26 de Julho

Custo (aproximado) por pessoa:
* crianças a partir dos 6 anos: 60€
* adultos: 70€
Há preços solidários para famílias com filhos.

Não te esqueças de levar:
• instrumentos musicais e jogos que consideres importantes para os serões.
Haverá apoio/animação para os mais novos.

Organização:  Acção Católica Rural
Apoio: Fundação João XXIII - Casa do Oeste

Casa do Oeste, Av. 25 de Abril, 13  2530 - 627 Ribamar LNH
Tel/Fax 261 422 790
casadooeste@sapo.pt
www.casadooeste.no.sapo.pt




FESTA DA CASA DO OESTE

Foi em ambiente de grande alegria e convívio que durante todo o fim-de-semana, 11 e 12 de Junho, celebrámos a Solidariedade com o povo da Guiné - Bissau e a Festa da Família Rural.

A Casa do Oeste (Fundação João XXIII) que nasceu e cresceu do sonho dos militantes dos Movimentos Rurais da Acção Católica é hoje uma grande Instituição com projecção, não apenas na Diocese de Lisboa, mas em todo o país e também a nível internacional, sobretudo na Guiné, fruto dos projectos de Solidariedade que tem vindo a apoiar e onde, em Agosto próximo, será criada uma Delegação.

Mais uma vez a Festa Anual foi um ponto de Encontro de muitos que têm vivenciado estas experiências…novos e velhos…. Alguns que vieram mais uma vez, repetindo um gesto de há muitos anos, outros que participaram pela primeira vez, trazidos pelo convite de amigos ou familiares.


















No final da Celebração foram benzidos os”ramos de espigas” e neste gesto pedida a bênção de Deus para os campos… que eles produzam, pela mão dos homens pão para todos, que a fome em vez de progredir seja banida do mundo… o que será, apenas possível, claro, com o trabalho dedicado e generoso de todos… sem ganância e avareza… sem o ganho escandaloso de alguns a contrastar com o trabalho escravo de outros.

E como o futuro é dos jovens, alguns adolescentes de Ribamar receberam a camisola da ACN-JARC (Acção católica dos mais novos) e prometeram diante de todos ajudar a construir um mundo mais justo, a estarem atentos ao que se passa á sua volta e a contribuírem para melhorar as coisas (VER, JULGAR, AGIR).



















A tarde foi bem animada e muitos aproveitaram para dar um pezinho de dança. O conjunto COTTAS CLUB JAZZ BAND, do Circulo Musical do Bombarral, foi um “ verdadeiro espectáculo”!

O almoço, as filhoses, a quermesse, a loja (com os seus frascos de doce, marca Casa do Oeste) encheram as medidas e…

… no próximo dia 23 de Outubro teremos a FESTA DAS COLHEITAS e a INAUGURAÇÂO DAS NOVAS INSTALAÇÔES… desde já contamos convosco.




FESTA ANUAL


Festa Anual da Casa do Oeste foi no passado dia 12 de Junho, e contou com a presença de muitos amigos e muita animação.